Estudo realizado em Portugal a trabalhadores com computador com dor crónica cervical


  • 109 trabalhadores com dor crónica cervical com uma média superior a 5 anos de dor crónica.

  • Apenas 11% destes trabalhadores estão a fazer algum tipo de tratamento.

  • 18% menciona que teve que tomar medicação analgésica ou anti-inflamatória no tempo superior a 24 horas devido à dor.

  • 45% revelou uma intensidade de dor moderada na última semana (4.62 numa escala de 0 a 10).

  • Este não é um estudo de prevalência (outro estudo está submetido para publicação). Existe uma prevalência elevada de dor cervical em trabalhadores com computador em termos mundiais.

Portugal tem que refletir nestes números.

É urgente criar opções de tratamento integradas no local de trabalho.




70 visualizações0 comentário